trop02

Tape #2: Brasil

Resolvi revisitar minha coleção de música brasileira.

Minha esperança era de fazer uma gravação de uma hora. Porém para minha surpresa, na primeira coleta eu consegui material para mais de 3 horas.

Eu queria passar por várias fases do rock no Brasil. Era muita coisa boa. Muita gente ficou de fora, como Sepultura, Viper, RDP, IRA!, Barão, Patrulha do Espaço, etc…

Segui a linha de “uma coisa puxa a outra”. Comecei com uma música, e as outras foram aparecendo na minha mente. O engraçado é que começa com Caetano, e termina com Zumbis do Espaço.

Acompanhe a evolução da minha loucura…

Folder

Primeiro, Tropicália do Caetano Veloso.

Apesar do “Caetanismo” ser uma coisa insuportável hoje em dia, não há como negar que o movimento “Tropicalismo” detonou e iniciou vários outros movimentos pelo Brasil.

A música é simples e contagiante. Todo mundo já ouviu, e conhece. Mas vale a pena ouvir de novo. E ela prepara o clima para a próxima canção.

Folder (2)

Não tem como discutir. Panis Et Circenses diz muito sobre o nosso país.

Se você escutar bem, perceberá que pouca coisa mudou nos últimos 40 anos. Afinal as pessoas da sala de jantar, são ocupadas em nascer e morrer.

Tudo nessa música é bom. A letra, o som, a composição, o arranjo, etc…

Folder 5

Próximo: 14 Bis.

Não, não é o que você está pensando. Esqueça o Flávio Venturini e seus asseclas. Esse 14 Bis é anterior. Hard Rock de primeira.

Sua gravação original é um compacto do começo dos anos 70, onde em um lado era “God Save The Queen”, e do outro lado “Pensamentos De Um Fumador De Cachimbos” (sei…).

R-6105008-1415045589-9812.jpeg

O som é muito bom, e temos que respeitar a qualidade técnica de tudo do início dos anos 70. Felizmente existe uma coletânea que foi lançada recentemente, Brazilian Guitar Fuzz Bananas, com o registro dessa banda, já que achar o compacto deles hoje em dia é praticamente impossível.

LP

Flores Astrais não é a música mais conhecida do Secos & Molhados. Mas eu gosto dela pelo clima “setentão”, bem calma, meio Prog, meio Folk, meio MPB (três meios?).

capa

Gilberto Gil nunca teve uma interface direta com o Rock. Mas suas músicas em parceria com o Mutantes são boas.

Procissão é uma das melhores, ao lado de Bat Macumba.

hqdefault

Tony e O Som Colorido. Também é conhecido como Tony Bizzaro. Tem uma pegada de Rock e Soul.

Foi relançado recentemente na coletânea Brazilian Guitar Fuzz Bananas.

????????????????????

Veludo. Banda obscura dos anos 70. Não confunda com o Veludo Azul, que surgiu anos depois.

Bem naquela pegada de ELP e outros Progs dos anos 70.

Vale a pena procurar por mais material deles pela web.

R-2265325-1273249374.jpeg

The Youngsters. Apesar do nome, 100% brasileira. Mais uma raridade do Brazilian Guitar Fuzz Bananas.

E tocando um cover dos Beatles.

Na sequência, outra banda do mesmo álbum, Pops, com sua “O Som Imaginário de Jimi Hendrix”. Acho que de todas as bandas essa foi a mais difícil descobrir algo. O que não tira o seu brilhantismo e swing.

tumblr_lsk82sQQEb1qm14qyo1_1280

Aproveitando a onda de covers e etc… nada melhor que o primeiro álbum solo de Rita Lee, a madrinha do Rock Brasileiro.

Build Up é recheado de boas canções, mas o cover dos Beatles (sim, mais um), “And I Love Her” é memorável.

l2954

Seguei é uma lenda no Brasil. Muita gente sabe da existência dele, mas nunca sequer escutou uma única canção.

Aproveite, e se agite com “Coleção de Vícios”. Um puro Rock and Roll.

535627_10151559479964384_16580926_n

Falando em puro Rock ‘n’ Roll, Made in Brazil na cabeça.

Minha Vida é o Rock ‘n’ Roll é um dos clássicos dessa banda Paulistana.

Muito foda ouvir isso.

n_1984____single__aumenta_que_isso_ai___rock_roll_

Celso Blues Boy vai na mesma pegada, com muita pegada. Aumenta que isso aí é Rock ‘n’ Roll!

maxresdefault

Agora caindo um pouco para o lado Heavy Metal, Robertinho do Recife.

Por muitas vezes, injustiçado, e sem reconhecimento, o cara é um puta guitarrista.

E essa música, um hino. “Bate o pé, bate a mão…” é sensacional ao vivo.

compacto_frente_big

Entrando de cabeça no Heavy Metal Brasileiro, o grande Vulcano.

Mas antes da fase “Ergam suas cabeças…”, um Space Rock de qualidade. Poucas pessoas conhecem esse compacto, e muito raro conseguir uma cópia.

A qualidade é duvidosa, mas a música é D+.

Centurias

Centurias e sua canção “Sobre Duas Rodas”.

Um clássico das tardes de domingo, nos eventos “Praça do Rock”, nos anos 80 em São Paulo.

b9420de7fe46f41e4cf6422f61179f62

Além do Centurias, a coletânea S.P. Metal nos trouxe o Virus, com Matthew Hopkins, beirando o Thrash/Speed Metal.

Quando escutei pela primeira vez, não acreditava que poderia ter algo tão bom por aqui.

korzus_ao_vivo_cover_front

E no limite da velocidade, Korzus, com sua Guerreiros do Metal.

korzus1985

Acho que foi nessa música do Korzus, que pela primeira vez eu me senti um Headbanger em um show.

Posso estar enganado, mas acho que isso foi no SESC Pompéia.

inox-capa

Inox e seu álbum.

Foi a primeira vez que uma banda de Hard Rock tinha uma boa produção em termos de gravadora, estúdio e produção.

Eu lembro também que as produções dos shows eram bem feitas.

platina

Platina, mais um da série Hair Metal Brasileiro.

Sempre conseguiam encher as casas onde tocavam.

taffo_falta

Wander Taffo, falecido em 2008, tem uma passagem importante pela história do Rock no Brasil.

Radio Taxi, Joelho de Porco e Gang 90 são apenas alguns exemplos de bandas por onde esse guitarrista genial deixou suas marcas.

Olhos de Neon, no meio do caminho entre um bom Hard Rock, e um bom Pop, contagia.

cd-golpe-de-estado-10-anos-ao-vivo-11537-MLB20046368621_022014-F

Golpe de Estado e sua Noite de Balada.

Um hino do Rock Paulista.

FRONT

Entrando na reta final, e de cabeça no Heavy Metal, Dorsal Atlântica com Princesa do Prazer.

Foi o meu primeiro contato com o Heavy Metal Carioca.

O guitarrista Carlos foi uma referência para mim durante anos.

Harppia-1985-A-Ferro-e-Fogo-1

Harppia e as Bruxas de Salém. Uma das melhores músicas para se ouvir ao vivo.

Refrão contagiante.

altatensao_4

Falando em contagiante, Alta Tensão com Submundo da Carne, tem uma das melhores frases que eu já ouvi em português em uma música:

“Ou nós encaramos esta luta selvagem
Ou morremos sangrando na flor da razão”

Isso foi um hino pessoal durante anos da minha vida.

destructus-maximus

E finalmente, não deixando de ter uma referência do Misfits, o Zumbis do Espaço.

Mais uma daquelas bandas que você vai no show, e canta todas as canções com empolgação.

Agora é só dar o play e aproveitar.


Tape #2 – Brazil by Marco Fonseca on Mixcloud

 

mondo-drag-new-rituals1

Obscure List #1 – Mondo Drag

Conhecida por seu estilo obscuro, a banda Mondo Drag não deixa nada a desejar se o assunto for gostos musicais peculiares. Fundada por John Gamino, Nolan Girard, e Jake Sheley, a banda segue um estilo heavy psych, prog e proto-metal. Como seus fãs e admiradores dizem:

“é um som que não se vê na atmosfera terrestre há algumas décadas.”

Pelo tempo que pude ouvir essa banda, me lembrou muito os mesmos estilos de Subvision, Black Keys, Ghost B. C. e me lembra vagarosamente as composições tanto quanto obscuras de George Harrison (Guitarrista da banda The Beatles). Mas Mondo Drag tem o seu diferencial, as musicas tem uma melodia suave e ao mesmo tempo alucinógenas, dando a sensação de que não havia letra na música, ou que havia e você acabou não prestando atenção direito. Uma ótima dica para quem gosta de relaxar com um leve ninar das sombras.

A música mais conhecida da banda é New Rituals, música do álbum de mesmo nome, foi lançada em 2010 com o estouro da banda, uma música que mostra a cara da banda, e nela você pode verificar o estilo alternativo da banda com sua melodia bem suave, mas ao mesmo tempo agitada, um ar obscuro surge do meio de sua melodia e te torna um fã de imediato.



Além de ter entrado para a minha top 10 de bandas obscuras, também me despertou uma vontade de compor…

Por isso, me despeço por aqui…

sdn-15-black-cat-bones-front

Black Cat Bones

Blues. Blues puro. E um belo álbum de Blues.

O Black Cat Bones teve uma vida curta. Foram apenas 4 anos, mas que foram imortalizados nesse disco.

A banda ficou mais conhecida por ter como membros, Paul Kossoff e Simon Kirke que anos depois estariam no Free, e ainda o próprio Simon Kirke seria um dos fundadores do Bad Company.

Como dá para perceber, só coisa boa relacionada.

100_6621

O único registro da banda é o Barbed Wire Sandwich, que foi lançado em 1969, e apesar de ser proclamado como um álbum de Progressivo, o Blues é som mais predominante em suas composições.

Mas infelizmente, as vendas foram um fiasco. O gerou o fim precoce da banda, apesar de serem bem aceitos no circuito de pubs e bares de Londres.

100_6626

Os outros membros da banda se espalharam por outras bandas de menor calibre.

Vale a pena conferir.

4406363128_3c68ef1c6a_z

Tape #1: Bootleg

Quando eu era adolescente, eu sempre tinha uma fita cassette pronta para algum momento.

Eu tinha uma para andar de ônibus, tinha outra para andar de bike, outra para andar sem rumo, uma para estudar, uma para escutar no carro dos meus pais, etc…

Eu passava dias montando essas fitas. Muitas vezes você tinha que recorrer aos amigos próximos, para pegar aquela música que faltava para ficar perfeita a compilação.

Outras vezes você tinha que ficar com os dedos prontos para gravar diretamente do rádio algumas canções. Enfim, era uma aventura.

O cassette dos anos 80/90, era o atual playlist do seu MP3.

Mas confesso que deixar no shuffle hoje em dia é mais fácil.

Mas uma vez que foi viciado em montar “mix tape” na sua vida, você sempre será.

Eu sempre lembro do livro “Alta Fidelidade”, que conta exatamente a história de um apaixonado por montar fitas com músicas, e com uma mania de fazer listas, como “As 10 melhores músicas para beber cerveja”. Confesso que também tenho essa mania.

Bom, vamos falar dessa primeira “mix tape” virtual que eu montei.

Preferi começar pelo básico, sem inventar muito, mas utilizando um material diferente.

Busquei trechos de shows, que foram capturados em sua maioria, diretamente da mesa.

Afinal, ao vivo é muito mais legal.

art 1

As duas primeiras músicas são do Black Sabbath, na fase Ronnie James Dio.

Começando com Black Sabbath, e finalizando com Heaven and Hell, elas foram capturadas no Japão, no dia 18 de novembro de 1980, no Nakano Sun Plaza Hall de Tokyo.

A qualidade, apesar de estar em MP3, está muito boa. Mas se você procurar, você encontrará a versão desse show em FLAC, que é muito superior. Esse Bootleg tem dois possíveis nomes “Angel and Demon”, ou “Dark Knight”.

Blue_Oyster_Cult_1988

Na sequência, duas músicas do Blue Oyster Cult, banda que no Brasil é quase inexpressiva, apesar de sua qualidade.

As músicas foram capturadas durante um concerto em San Rafael na Califórnia, do dia 30 de abril de 1988.

O detalhe é que esse show foi transmitido através de uma rádio local, o que gerou esse registro.

A qualidade é boa também, e as escolhidas foram Joan Crawford e Burnin’ For You.

Cover

A terceira banda, e talvez com a pior qualidade na gravação, é o Van Halen.

Apesar da qualidade, as versões de Runnin’ With The Devil e Jamie’s Cryin’, me chamaram a atenção pela jeito diferente de serem executadas.

Scan001-Front

E fechando com uma chave de ouro incrível, Led Zeppelin.

Esse “piratão”, poderia ser vendido como um dos primeiros álbuns ao vivo dessa banda inesquecível.

A qualidade é demais, apesar de ter sido capturado por volta do dia 16 de junho de 1969, em um parque, Tivoli Gardens, de Copenhagen, na Dinamarca.

Mais um registro que vale a pena você buscar para escutar por completo.

A primeira música é I Can’t Quit You e a segunda, Dazed And Confused, em uma versão sublime.


Bootleg Tape – EuFaloSozinho.com by Marco Fonseca on Mixcloud

 

 

bulbous-creation-you-wont-remember-dying-2

Bulbous Creation

Música é um processo constante de pesquisa. Você nunca vai conseguir escutar tudo de bom que existe no mundo. Não importa o gênero.

E mesmo bandas que existiram nos anos 70, algumas vezes aparecem do nada, como se fossem novidade.

Acho que o melhor exemplo disso, e que eu vivenciei nos últimos dias, foi o Bulbous Creation.

Um “Stoner”, de 40 anos atrás, mas que poderia ser anunciada como mais uma nova banda da América.

O som é muito atual. Peso. Garra. Acidez. Psicodelia.

Essa obscura banda americana, nascida e criada no Kansas, consegue fazer riffs simples, mas potentes, e extremamente contagiantes.

Seu único registro em estúdio foi “You Won’t Remember Dying”, onde toda a loucura dos anos 70 está comprimida nas 8 faixas que citam drogas, sexo, escuridão, devassidão… E tudo isso gravado em poucas horas, em um único dia.

Dias depois dessa gravação, a banda se desfez por completo, inviabilizando o projeto.

E infelizmente esse álbum não foi lançado até os anos 90, quando um pesquisador descobriu uma cópia dessa sessão, e brindou o mundo com essa pérola, através da gravadora Numero Group, onde por acaso vou passar mais horas por dia investigando se existem outras maravilhas como essa.





Aprecie sem moderação.

Motorhead

Relembrar é viver.

Dois trechos dos shows do Motorhead de 2009 e 2011.

O show de 2011 foi melhor. Não que os outros sejam ruins. Longe disso. Mas em 2011 acho que eles estavam em uma noite especial.

O melhor que eu tinha visto até então, era um do BB King Burger & Grill em New York, acho que em 2005.

Estava tudo perfeito em 2011. Sincronia, carisma, qualidade do som… Do jeitão que só o Motorhead sabe fazer. Sem pirotecnias, sem efeitos.

Um simples rock’n’roll.



I can tell, seen before,
Know the way, I know the law,
I Can’t believe, can’t obey,
Can’t agree with all the things that they say,
Oh no, don’t ask me why,
I can’t go on with all the filthy white lies,
Stay Clean…

Twisted Sister

Incrível.

Só isso descreve esse show.

O Twisted Sister conseguiu levantar a galera de um jeito majestoso. Fazia muito tempo que eu não via algo desse jeito.

O pique dos caras é o mesmo desde os anos 80. Enquanto outras bandas se escondem atrás de efeitos com luzes e fogos, eles simplesmente sobem ao palco, e fazem um rock honesto com muito punch.

O trecho de “I Wanna Rock” consegue captar um dos melhores momentos do show.

Dee Snider é o showman de 2009.

*Repost de 2009-12-27