Dubai – Diário de Viagem 1

500 AED... by ADW44
500 AED…, a photo by ADW44 on Flickr.

Então vamos para a praia!

E foi assim que começou a nossa aventura no mundo das Arábias.

Na verdade, tudo começou quando eu e minha mulher estávamos procurando um lugar, que fosse praia e cidade ao mesmo tempo. Que fosse paradisíaco e cosmopolita ao mesmo tempo.

Começamos a pesquisa pelo Caribe, mas quando colocamos os custos da viagem em um planilha, por mais incrível que pareça, Dubai era a opção mais em conta, comparando com outras praias, como Cancún, Bahamas e Miami.

Antes de começar a detalhar os destaques de Dubai, é bom verificar os seguintes pontos:

– O Emirados Árabes ou UAE, apesar de ser um estado laico, tem muita influência do Islã. Portanto, coisas simples, como andar com sua esposa de mão dada, pode acarretar uma multa. Beijar em público então, nem pensar. Jogar uma bituca de cigarro no chão, dá uma multa de 500 reais. Comer no transporte público, outra de 200 reais. Mulheres não precisam vestir burca, mas não devem andar com saias curtas, ou mostrando os ombros. Enfim, são costumes bem diferentes dos nossos ocidentais, porém aceitáveis. Nos hotéis, as regras são mais tranquilas, portanto não há com que se preocupar.

– É muito importante tirar um pré-visto diretamente no site dos Emirados. Para você solicitar o visto, é necessário que você já tenha a passagem ou a reserva do hotel em mãos. A companhia aérea emite um convite em seu nome, para visitar o país, facilitando a aprovação do visto. Se você viajar pela Emirates, o processo fica mais simples. Você também pode receber esse convite diretamente do hotel que reservar. Mas não tenho certeza se todos os hotéis tem essa possibilidade.

– Existe um serviço de concierge no aeroporto de Dubai, a Ahlan, que facilita muito a sua chegada no país. Contratando o serviço deles, ao sair, literalmente, do avião, já tem uma pessoa com uma placa com o seu nome esperando por você. A partir desse momento, tudo é por conta deles. Eles pegam o seu passaporte e visto, e fazem todo o trâmite interno do aeroporto. Enquanto isso, você fica em uma sala, bebendo sucos de frutas e comendo tâmaras e pistaches. Quando eles terminarem a burocracia, eles te guiam até a imigração, já com suas malas, e mais uma vez, te colocam literalmente dentro do táxi para o hotel.

Deixando de lado as burocracias e regras, vamos ao que interessa.

Onde ficar?

O hotel escolhido foi o Atlantis. Da mesma rede do homônimo do Caribe, o hotel é um sonho em forma de realidade. O atendimento te dá a sensação que você é um cliente exclusivo, desde a pessoa que abre a porta do táxi, até o massagista do spa, todos são extremamente atenciosos e dedicados. As dependências do hotel são completas. Restaurantes, bares, piscinas, saunas… Enfim, tudo em um único lugar.

Onde comer?

Além das centenas de restaurantes que estão nos shoppings, os meus destaques vão para os restaurantes que estão dentro do Atlantis.

Kaleidoscope e Rostang: São dois restaurantes que tem um serviço de “all you can eat” sensacional. Ideal para o café da manhã.

Seafire Steakhouse: Não lembro de ter experimentado um angus beef melhor do que esse feito por esse restaurante. Era possível cortar a carne com um garfo. Foi inesquecível.

Levantine: O que dizer de um restaurante, que é considerado um dos melhores da cozinha árabe, no meio das Arábias? Foi nele que eu realmente senti o que é comida árabe ou libanesa. Completamente diferente de tudo o que eu já experimentei em outros lugares.

Nobu: Sua fama internacional é merecida. Novamente, mais um da série “o melhor restaurante”. Esqueça os sashimis e sushis convencionais. É um outro nível.

Nasimi: Com uma vista para o mar, esse restaurante focado em frutos do mar, é perfeito para relaxar ao final da tarde.

O que fazer?

Piscina e praia são obrigatórios. O dia já começa com 38 graus. Esqueça tudo o que você sabe sobre o calor. O calor das Arábias vai te mostrar, o que é calor.

Dentro do Atlantis, tem um complexo de aquários e parques aquáticos, que merecem a visita.

Um passeio obrigatório, é o voo de helicóptero sobre a cidade. Uma experiência única em Dubai.

Outro passeio importante, é o famoso ônibus Sightseeing, e os destaques da cidade.

Shopping, shopping e shopping. Dubai é infestada de shoppings. Mall of the Emirates, Dubai Mall, BurJuman, além dos mercados de rua (Souk) focados em tecidos e jóias. O que é mais interessante nos shoppings de Dubai, é que você sente uma mistura de Europa com América. Ao mesmo tempo que você tem, por exemplo, os burgers americanos do Shakeshack, você tem ao lado a doceria francesa Ladurée. Também tem lojas como a americana Saks e a inglesa Harvey Nichols. Digamos que é o melhor dos dois mundos.

Outro destaque são as lojas de temperos. São incríveis. Principalmente as que ficam próximas ao Golden Souk.

Falando em mercado de ouro, uma coisa que impressiona, é a ausência de seguranças ou polícia em uma rua abarrotada de lojas de jóias e ouro. Todos circulando livremente pelas ruas, sem nenhum medo. E os preços das jóias são absurdos, chegando a custar cerca de 5 vezes menos do que no Brasil.

Já o Old Souk é mais focado em lembranças e presentes da região, além das sedas e lenços. Apesar dos vendedores serem um pouco insistentes, se você achar uma loja calma, será muito bem atendido. E não esqueça de negociar. Aceitar o preço logo de cara, é uma ofensa. Sem contar que durante a negociação, você verá o valor cair muito.

A arquitetura do lugar é um capítulo separado. Desde a estação do metrô, passando pelo aeroporto, até os prédios comerciais, tudo é lindo. Alguns prédios você pode visitar, como o Burj Al Arab, e o prédio mais alto do mundo, o Burj Al Khalifa, do filme Missão Impossível – Protocolo Fantasma.

Acho que, finalmente, a principal coisa a se fazer em Dubai, é relaxar. Eu nunca descansei tanto em uma viagem, como essa. Sem horários, sem visitas programadas para museus, sem eventos, enfim, sem nada. A rotina era acordar, comer, descansar, passear, comer, descansar, ir na massagem, e assim por diante.

O que fica para a próxima:

Experimentar outros restaurantes, localizados em outros hotéis.

Ficar hospedado dois ou três dias, em um hotel no deserto.

Ficar hospedado mais uns dois ou três dias no Armani Hotel do Burj Al Khalifa.

Oh, let the sun beat down upon my face, stars fill my dreams
I am a traveler of both time and space, to be where I have been
To sit with elders of the gentle race, this world has seldom seen
They talk of days for which they sit and wait, all will be revealed

– Kashmir, by Led Zeppelin